quarta-feira, 6 de abril de 2016

Programa Água Doce conclui 22 sistemas de dessalinização no RN



O Governo do Estado, através da Secretaria Estadual do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), e em parceria com o Ministério do Meio Ambiente (MMA), concluiu 22 sistemas de abastecimento de água potável, com os dessalinizadores Programa Água Doce (PAD). Com esta ação, 1 mil e 200 famílias estão sendo beneficiadas, nos municípios de São José do Seridó, João Cãmara, Parazinho, Pedra Grande, Riachuelo, Macau, São Bento do Norte, Jandaíra, Santana dos Matos e Pedro Avelino. Além das comunidades contempladas, as famílias vizinhas também fazem uso do recurso.

O convênio firmado entre o MMA e a Semarh no valor de R$ 19,9 milhões tem como meta a implantação, recuperação e gestão de 153 sistemas de dessalinização. De acordo com Araújo Lima, coordenador do PAD/RN e secretário adjunto da Semarh, 68 comunidades serão beneficiadas na primeira etapa do convênio. “Já concluímos 22 sistemas e até o fim de abril serão finalizados mais 15 tecnologias” disse Araújo.

Para Mairton França, Secretário Estadual do meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, o PAD é um iniciativa muito interessante porque além de fornecer água de qualidade ele promove a disciplina na gestão dos sistemas, que é feita pela própria comunidade. “Nossa equipe de mobilização social se reúne com as famílias, apresenta o programa e detalha o funcionamento do sistema, mas é a comunidade que define quem vai operar, o quanto será distribuído de água e os horários” explica Mairton. “É uma satisfação enorme entregar os dessalinizadores nas comunidades e saber que agora a população tem acesso a uma água de excelente qualidade” finaliza.


Das obras entregues, duas são projetos pilotos que o MMA escolheu implantar no Estado do RN: O sistema de dessalinização alimentado por energia solar, na comunidade Maria da Paz, em João Câmara, e a recuperação do sistema de dessalinização da comunidade Catinga Grande, onde funciona um sistema de produção formado por criação de Tilápias e produção de erva-sal (atriplex), com gestão integrada e participativa.

Os equipamentos atenderão aos municípios, de acordo com o critério adotado pelo MMA que é o Índice de Condições de Acesso à Água (ICCA). Este índice leva em consideração os seguintes fatores: pluviometria, intensidade de pobreza, taxa de mortalidade infantil e o índice de desenvolvimento Humano (IDH).